quarta-feira, 30 de junho de 2010

PÉ DE LARANJEIRA...


Certa vez o vi sentado à sombra de uma laranjeira,
mirava o horizonte como quem olha o futuro
com gosto de sobremesa...
Seus olhos brilhavam,
seu sorriso encantava,
...era pura travessura,
ternura,
era moleque de boas notas,
de mil idéias,
de passos largos e pernas tortas.
Desenhava,
escrevia,
se perdia por entre as nuvens,
mundos imaginários...
Ainda lembro do seu sorriso,
do gosto da sobremesa,
do horizonte nos olhos,
do futuro...
Certa vez o vi sentado à sombra
de uma laranjeira...
Esse moleque era eu, que hoje já não consegue se encontrar mais!!!

SONHOS CONTIGO...


Perco-me nos sonhos
Que tenho contigo
Onde vamos estar juntos
Longe de tudo

...Nada nos fará mal
Não tenhas medo
Eu estou aqui
Vou-te proteger

Aparece uma tempestade
Abala o nosso castelo
A terra treme
O que se passa?

Acordo deste sonho
Numa agitação
Onde o coração bate
Mais rápido que uma chita

Mais lento que um foguetão
Pronto a explodir
De emoção
Fico mais calmo

Vejo que estás deitada no meu lado
Deito-me junto a ti e vejo que o melhor sonho, está ao meu lado…

(Apenas mais um sonho...)

AMOR ENTRE AS CAVEIRAS...


Eram duas caveiras que se amavam
E à meia-noite se encontravam
Pelo cemitério os dois passeavam
E juras de amor então trocavam.
Sentados os dois em riba da lousa fria
A caveira apaixonada assim dizia
Que pelo caveiro de amor morria
E ele de amores por ela vivia.
Ao longe uma coruja cantava alegre
Por ver os dois caveiros assim felizes
E quando se beijavam entao funebres
A coruja batendo palma e pedia bis
Mas um dia chegou de pé junto
Um cadáver novo de um defunto
E a caveira pr'ele se apaixonou
E o caveiro antigo abandonou.
O caveiro tomou uma bebedeira
E matou-se de um modo romanesco
Por causa dessa ingrata caveira
Que trocou ele por um defunto fresco.

SENTIDO...


Onde estão as rosas que me deste?
Um perfume que não consegui sentir
Tenho os meus sentidos adormecidos,
Por mais que tente não os consigo acordar.
Nada faz sentido, porque adormeci para ti
Não me perguntes porquê,
Simplesmente não sei responder.
Onde estão as rosas que me deste?
(Vejo o teu sorriso rasgado,
Esboço um sorriso também…)
Encontro-as no vaso, não sinto o seu perfume.
Procuro respostas, tento me entender
Recordo momentos vividos,
Brincadeiras, olhares e sorrisos
Instantes jamais esquecidos…
Amor, sonhos, paixão
Deixaram cicatrizes no meu coração
Eu que agora só penso em acordar
Os meus sentidos adormecidos,
Para de novo te encontrar.

SAUDADE...


De um sorriso sincero, espontâneo.
De um caminho sem peso, sem culpa.
De viver cada minuto intensamente.
Saudade…
De sonhar acordado
Saudade de tudo, de nada
Saudade…
Saudade…
Saudade!

AH... CORAÇÃO...


Que não consigo libertar.
Continua fechado,
Magoado,
A tentar sobreviver sem você…

SONHOS...

TALVEZ ALGUM DIA...


Não seja preciso chorar
Talvez não muito tarde
O mundo aprenda a amar

Talvez Amanhã cedo
Nós voltaremos a viver
Sem mistérios nem medo
Os sonhos possamos entender

Talvez seja mais uma ilusão
Talvez desejo ou paixão
Enganos de um coração
E consolo à solidão

Quem sabe restarão lembranças
Que nos deixarão saudades
Ou talvez à confiança
Seja o início da realidade

Talvez nossos sonhos perdidos
Encontrem refúgios para brotar
Seja amores esquecidos
Ou tristeza por não amar

Talvez algum dia...

Não mais necessite palavras
Não precise mais sonhar
Não exista mais distância
Para que o mundo aprenda a amar
Para que a vida seja mais que lembrança
Para que nossos sonhos sejam mais que saudades
Para que nós não sejamos apenas mais um
Que desapareceu junto a eternidade!

Talvez algum dia...

terça-feira, 29 de junho de 2010

BALADA!!!


Sexta Feira 02/julho BALADA no Bahamas Beer em Cruz Alta/RS
Elas convidam, e Eles... Se Garantem?
Como Eu me garanto Eu Vou... Certo...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

O MESTRE ZEN E O ESPADACHIM!


Era uma vez um jovem espadachim que foi visitar um mestre zen.
Ao encontrar-se com o mestre, ele não pode conter o sentimento de inferioridade.
Confuso com aquele sentimento, o espadachim se dirigiu ao mestre e perguntou:
- Mestre, por que me sinto inferior a você?
Porque esse sentimento veio de forma incontrolável?
O mestre respondeu:
- Ao cair da noite você terá a resposta.
O dia passou lentamente e, enfim, anoiteceu.
O espadachim continuava incomodado pelo sentimento que o atormentava.
Ele viu que o mestre observava a lua através da janela.
Então, aproximou-se e perguntou:
- Por que continuo com esse sentimento, mestre?
O mestre zen, então, pediu ao espadachim que observasse duas árvores do jardim.
Elas estavam lado a lado, uma era grande e a outra pequena.
A lua cheia iluminava o jardim todo, inclusive as duas árvores.
Depois de um tempo em silêncio, o mestre zen perguntou ao espadachim:
- Por acaso você acha que alguma dessas duas árvores se sente superior ou inferior uma à outra?
E o espadachim respondeu:
- Não.
- E por quê? perguntou o mestre.
O jovem espadachim refletiu por um momento e encontrou a resposta:
- Elas não se sentem assim porque não se comparam.

VALOR DAS PESSOAS...

O ASSASSINATO...

E se eu quisesse terminar?
Rir de tudo na sua cara
O que você faria?
E se eu caísse no chão?
Não pudesse mais agüentar
O que você faria?
Venha me destruir!
Me enterre, me enterre!
Eu terminei com você!
E se eu quisesse lutar?
Implorar pelo resto da minha vida
O que você faria?
Você diz que queria mais
O que você está esperando?
Não estou correndo de você
Venha me destruir!
Me enterre, me enterre!
Eu terminei com você!
Olhe nos meus olhos
Você está me matando, me matando!
Tudo que eu queria era você!
Eu tentei ser alguém que não sou,
Mas nada pareceu mudar
E eu sei agora,
isto é o que eu realmente sou!
Finalmente eu me encontrei!
Lutando por uma chance,
Agora sei quem realmente sou!
Ohhh, ho ohhhOhhh, ho ohhhOhhh, ho ohhh
Venha me destruir!
Me enterre, me enterre!
Eu terminei com você, você, você!
Olhe nos meus olhos!
Você está me matando, me matando!
Tudo que eu queria era você!
Venha me destruir!
Me destruir, me destruir
E se eu quisesse terminar?
(The Kill - 30 Seconds To Mars)

video

CORAÇÃO PODRE!



Nem todas as palavras do mundo,
Conseguirão exprimir o que sinto por ti;
Nem todos os segundos de inúmeras horas
Serão suficientes para estar ao teu lado...

Esfola-me,
Odeia-me,
Só não esqueças,
Que eu te amei!

Sei que serei esquecido,
Assim é a lei deste mundo
Um sonho bom e bonito,
Só dura um segundo

Amor paixão
Doces sonhos que se vão
Então no fim restam porções de,
um podre coração

domingo, 27 de junho de 2010

E POR VEZES...


"E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos

E por vezes
encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos."

DOR...


Tropecei nela
Senti torcer-se-me o coração,
Mas, a dor...
essa dor, era tão forte
Dor de Alma,
Dor de Coração,
Dor de Amor
Dor de Ausência,
Dor de Paixão,
Dor de Desamor
Dor, dor, dor!
Duas lágrimas, teimosas, rolaram
Caíram no chão
Essa dor, eras tu
SOLIDÃO

PENSAR...

QUANDO?!?


Porque o tempo nos afasta?
Porque só tenho de você
lembranças do que não tive?
Porque tudo é tão incerto?
Porque o destino não faz nossas
...vidas se traçarem na eternidade?
Porque viver na saudade, nas lembranças
num olhar sem volta?
Num beijo sem futuro
Porque você não pode ser minha, sem receio
sem ninguém interferir?
Porque nossos caminhos se afastam sempre?
Porque ser só amigos apenas?
Porque só nos encontramos sempre em olhares
rápidos com medo de alguém ver?
Porque tem que ser assim… nosso amor tão
mal entendido?
Porque se temos uma esperança mal vivida
e tão sonhada?
Porque você não assume que também gosta de mim?
Porque esconder este sentimento?
Porque esperar amanhã para resolver este caso
mal resolvido?
Porque você não toma nenhuma atitude
Só me resta esperar que você um dia se decida
ou o tempo decida por nós…
Hoje, amanhã, talvez…

POR QUE?!?!

O FOGO APAGOU?!?


Quando passa o encantamento
De um amor que nos devora
Fica solto o tormento
E nunca mais vai embora
Já tive amor em teus braços
...Deslumbramentos te deixei
Mas perdi os teus passos
E nunca mais te encontrei
Tolo sou hoje confesso
Sem remorso e sem rancor
Só uma coisa te peço
Nunca mais fale de amor!

DELETE!


Palavras não adiantam nada…
Palavras só confundem a gente
Existe sentimentosque são intraduzíveis
Talvez seja mais fácil
descartar o amor de uma pessoa
...através de um simples e-mail
Algo tão frio e distante
Algo que só os covardes
são capazes de fazer
É fácil dizer adeus escrevendo palavras
É tão fácil não olhar nos olhos
Não sentir o sentimento
É fácil deletar alguém da sua vida
escrevendo um e-mail
Assim tudo fica mais simples
descartável…
Sentimentos surgem e acabam
no mundo virtual
Para quê trazer para o real?
seria muito mais difícil
encarar a realidade
A fantasia é virtual
Mas os desejos são reais
O sonho faz parte da gente
O amor não se deleta!

SIMPLESMENTE PASSOU...


De todo amor que te dei
Só desilusões recebi
De tudo que sonhei
Só tristeza vivi
Minha vida apenas passou pela tua
...E você compartilhou de amor os sonhos meus
Você foi a minha loucura
O que ficou foi apenas um adeus
Você mentiu dizendo que me amava
Dizendo que só a mim queria
Enquanto pelas ruas outros olhava
E meu amor, você traia
Como pude acreditar que um dia
Poderia ser feliz ao teu lado
Se você sempre fez tudo errado
Nunca me dava alegria
E agora que acabou
Este doce engano
Digo que não mais te amo
Pois você pela minha vida
simplesmente passou...

AMIZADES...


Sabes o que eu faria contigo, agora,
Caso a vida me desse uma folga?
Diria-te: mira o teu ouvido nos martelos
E suas loucas investidas na bigorna.
Mostrava-te os passarinhos tão distantes,
...Aqueles que cantam soltos, e os tristes.
Que uns lhes chamam encantados,
E outros lhes chamam anjos
Que dedilham a lira e as estrelas, dançam.
Dir-te-ia que tudo isso é mudo e surdo
Mas perceptíveis à alma quieta
E de sentidos mais apurados.
Apontava-te o verde mais intenso, porões da mata.
Dos vales que eu nunca vou pisar.
E falava-te das minhas vontades
Aquelas mais desertas, além, além
As que eu quero tirar da minha visão
Que só farei quando aprender a voar.
Mostrava-te o retrato que me fala
Nas vezes que o procuro na gaveta,
Que a saudade é mesmo um castigo,
E condenados somos tantas vezes.
Mostrava-te um poema de Fernando Pessoa
Que ele fez, perdido dentro das pessoas.
E assina quietas, as venturas da lua,
E o que a gente escuta, que é Deus falando
A voz que a gente decifra quando quer.
Segredava-te baixo em teu ouvido,
E se acordasses te faria dormir de novo.
Mas a palavra lembrada em seu tempo
Eu me obrigaria a falar.
Falava-te do velho camponês,
Que guarda zeloso seu rebanho,
E veio o vento tão impetuoso
E não arrastou nem um do seu ganho.
Citava a contravenção do tempo
Levando escondido em seus bornais
Amizades que a gente pensa uma vida
Encontrar, gostar, pra depois separar
Ou cada vez mais se aproximar.

SONHOS...

sábado, 26 de junho de 2010

FALANDO DAS MULHERES...


O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa (que na verdade esta na casa dela ainda, mas eu amo ela...), que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela que...m me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!'

Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat:

Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem
à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação Correta:

Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro (corno).
Beijos matinais e um 'eu te amo' no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Mimos também fazem parte de seu cardápio - mulher que não recebe mimos, murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a Natureza:

Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação?! (nem me fale, mas aguente).
Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não Tolha a Sua Vaidade:

É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping (ja decretei falência). Entenda tudo isso e apoie.

Cérebro Feminino não é um Mito: (nem mesmo em loiras).

Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, agüente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração!
Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você, fato. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça! E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela...

Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu
lado, nunca atrás! Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um
bronzeado.
Porém, se ela estiver atrás, você corre o risco de levar um pé-na-bunda!!!

Aceite:
Mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.
O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo. E meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay (assim você só gasta com gel lubrificante KY pro seu fuzicó)!

Só tem mulher quem pode!!!!!!!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

PÉS...


Aos Teus Pés...
Pés desnudos
Pés absortos de prazer,
Pés que alguém possa ter,
Pés ardilosos,
...Pés ainda escondidos,
Pés acostumados a dançar,
Pés safados que posso desfrutar,
Pés que quero beijar,
Pés que posso abusar,
Pés que um dia terei em meu olhar,
Pés em riste,
Pés famintos de caminhos,
Pés que um dia me darão carinhos,
Pés que sem cerimônia me alerta ao toque que dá,
Pés suaves que serão meus um dia.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

MARCA...


Foi em um simples papel que
comecei a colocar os
desabafos de meu coração...
Palavras que respondiam os
meus sentimentos, que
denunciam minhas vontades.
Uma lágrima sem razão rolou
dos meus olhos e caiu sobre a
palavra amor...
Ai percebi que:
Os meus olhos choram por
amor.
Lágrimas que nascem lá do
coração, que a alma aprova,
pois as lágrimas nos
fortalecem.
"Uma pessoa que não chora,
tem mil motivos para chorar..."
Segurar as lágrimas é o
mesmo que pedir para parar
o tempo.
O amor nos faz chorar,
porque é o sentimento mais
forte que existe na lei davida.
Minha poesia ficou com uma
marca, a marca de um amor
expressado em uma
Marca de Uma Lágrima.

SP + RS

terça-feira, 22 de junho de 2010

VUVUZELA NELES... VAMOS QUE VAMOS!!



ESCREVER...


Quero escrever o que não consigo dizer. Apetece-me abrir, como um livro em branco e a cada palavra uma emoção. Um significado, um pedaço de ficção tornado real. Sinto-me a desfalecer, como um sobrevivente num barco no meio de uma tempestade, onde sabe que só um milagre o fará sobreviver. Porque sou assim? Porque não consigo controlar-me, tento sempre algo com medo das pessoas não gostem mim. Não quis sofrer mais, por isso decidi afastar-me de toda a gente. Agora em vez de um coração tenho uma pedra. Difícil será pedir ajuda, mas porque fujo de tudo e de todos. Não enfrento os meus medos. Sempre a fugir, mas os problemas não desaparecem, apenas adormecem num sono leve. Continuamente dormindo, até um dia que acorda. Mais furioso, que um bebé com sono. Será que um dia vou acordar para a vida? Será que algum dia, vou deixar de fugir. De não precisar de me esconder por detrás duma máscara. Algum dia terei paz, comigo mesmo. Procuro o que? Escondo-me do que? Do sofrimento?! Mas senão sofrer não viverei, ficará sempre a angústia de poder ter feito algo mais, ser capaz de ter feito outra coisa para me mudar a mim. Então o que me falta? Não sei, não me conheço, e muito menos sei quem fui, sou ou serei. Sou um sentimentalista barato, daqueles livros que se compram, mesmo não sabendo o fim são todos iguais e terminaram de certeza da mesma maneira. Só muda o conteúdo, a forma do conteúdo é sempre mesma. Devo ser mesmo uma criancinha, não amadureci o suficiente. Não cresci em termos mentais. Se calhar não vivo, sobrevivo. Vou sobrevivendo, não questionando, não esticando a corda. Se calhar limito-me a seguir as pesadas dos outros. Em vez de ter uma personalidade própria. Se calhar também por ter mentido, muito a mim próprio agora já não sei quem sou. Perdi-me no caminho, e agora não sei o caminho de volta. Um circulo vicioso, onde já não se sabe onde começou e onde acaba. Ainda terei a tempo, de me encaminhar e não me perder de vez?
Alguém saberá me dar essa resposta e tantas outras que eu não sei. Talvez não tenha procurado bem, ou não tenho procurado nos sítios certos. O lamentar não me ajuda em nada, só faz com que tenha pena do que estou a ser neste momento. O frio passou, o frio que tinha quando comecei a escrever, mas o gelo dentro de mim, a angústia, a tristeza, o sofrimento continua. Não há alegria nos meus olhos, como num dia cinzento onde só chove. Em que a minha cara são as gotas, que caíram nesse dia de temporal. Onde o sol se escondeu, tornou-se cinzento, carregado. Não há cores vivas, mas sim cores mórbidas. Algum dia terei gostado de alguém realmente? Sim, apesar de tudo não sou assim tão frio. Da minha família, dos meus verdadeiros amigos, desses gostei. Então quando deixei de gostar? Quando deixei de ter interesse na vida? Quando passei a sobreviver, como um náufrago onde só ver mar e mar e mais mar. Mas acredito que sobreviverei, mas já não tenho a certeza de nada.

IN DE PROFUNDIS...


Não há um único homem miserável, neste lugar miserável onde eu também me encontro, que não tenha relações simbólicas com o próprio segredo da vida. Pois o segredo da vida é o sofrimento. É isso que está escondido por trás de tudo. Quando começamos a viver, o que é doce é tão doce para nós, e aquilo que é amargo, tão amargo, que dirigimos, inevitavelmente, todos os nossos desejos para o prazer, e procuramos, não apenas “durante um mês ou dois alimentar-nos de mel”, mas não experimentar, durante toda a nossa vida, nenhum outro alimento, ignorando entretanto que podemos estar a fazer com que a alma morra de fome.
(Oscar Wilde, in De Profundis)

IN DE PROFUNDIS...


Se, depois de eu sair [da prisão], um amigo meu desse uma festa e não me convidasse, eu não me importaria nada. Sou perfeitamente capaz de ser feliz sozinho. Tendo liberdade, livros, flores, e a lua, quem poderia não ser feliz? Além disso, já não estou muito para festas. Já avancei demasiado para me preocupar com elas. Esse lado da vida acabou para mim, e atrevo-me a dizer que ainda bem. Mas depois de eu sair, um amigo meu tivesse uma dor, e se recusasse a permitir-me partilhá-la com ele, senti-lo-ia com muita amargura. Se ele me fechasse na cara as portas da casa do luto, eu voltaria uma vez e outra e pediria para ser admitido, para poder partilhar aquilo que tinha o direito de partilhar. Se ele me achasse indigno, incapaz de chorar com ele, senti-lo-ia como a mais pungente humilhação, como o mais terrível modo de a desgraça me ser infligida. Mas isso nunca aconteceria. Eu tenho o direito de partilhar a Dor, e aquele que é capaz de olhar para os encantos do mundo, e partilhar a sua dor, e compreender um pouco a maravilha de ambos, está em contacto directo com as coisas divinas, e chegou tão perto do segredo de Deus quanto alguém pode estar.
(Oscar Wilde, in De Profundis)

IN DE PROFUNDIS...


Estou completamente falido, e sem casa. Contudo, há muitas coisas piores do que isso. Sou totalmente honesto quando te digo que, a sair desta prisão com amargura no coração contra ti ou contra o mundo, prefiro, alegre e prontamente, andar de porta em porta a pedir esmola. Se não conseguisse nada nas casas dos ricos, conseguiria alguma coisa nas casas dos pobres. Aqueles que têm muito são frequentemente avarentos. Aqueles que têm pouco partilham sempre o que têm. Não me importaria nada de dormir sobre a erva fresca, no verão, e quando viesse o Inverno, de me abrigar junto do feno quente de um celeiro, ou no luxo de um estábulo, desde que tivesse amor no coração.
(Oscar Wilde, in De Profundis)

METODOLOGIA...


Metodologia para Bobagens!
Saber jogar uma latinha de coca-cola (ou qualquer outro refrigerante) para o alto, fazendo com que ela dê 6 duplos-twist carpados exatos no ar, perpendicularmente ao centro da mesma, num movimento perfeito e simétrico, aterrisando suavemente na lata de lixo é um exemplo.

Perder tempo escolhendo e criando a piada certa para uma nova comunidade do orkut, para postar no facebook, no blogger, ou em outros é mais um exemplo...

"A pessoa sem uma metodologia tá fodida nessa vida."
Albert Einstein

"Quem não tem métodos é um zé-ruela."
Carl Jung

"Eh verdadi"
Sabrina Sato

O PARADOXO...


O paradoxo de nosso tempo na história é que temos edifícios mais altos, mas pavios mais curtos;
auto-estradas mais largas, mas pontos de vista mais estreitos;
gastamos mais, mas temos menos;
nós compramos mais, mas desfrutamos menos.
Temos casas maiores e famílias menores;
mais medicina, mas menos saúde.
Temos maiores rendimentos, mas menor padrão moral.
Bebemos demais, fumamos demais, gastamos de forma irresponsável, rimos de menos, dirigimos rápido demais, nos irritamos muito facilmente, ficamos acordados até tarde, acordamos cansados demais, raramente paramos para ler um livro, ficamos tempo demais diante da TV e raramente pensamos...
Multiplicamos nossas posses, mas reduzimos nossos valores.
Falamos demais, amamos raramente e odiamos com muita frequência.
Aprendemos como ganhar a vida, mas não vivemos essa vida.
Adicionamos anos à extensão de nossas vidas, mas não vida a extensão de nossos anos.
Já fomos à Lua e dela voltamos, mas temos dificuldade em atravessar a rua e nos encontrarmos com nosso novo vizinho.
Conquistamos o espaço exterior, mas não nosso espaço interior.
Fizemos coisas maiores, mas não coisas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma.
Estes são tempos de refeições rápidas e digestão lenta; de homens altos e caráter baixo;
lucros expressivos, mas relacionamentos rasos.
Estes são tempos em que se almeja paz mundial, mas perdura a guerra no lares;
temos mais lazer, mas menos diversão;
maior variedade de tipos de comida, mas menos nutrição.
São dias de duas fontes de renda, mas de mais divórcios;
de residências mais belas, mas lares quebrados.
São dias de viagens rápidas, fraldas descartáveis, moralidade também descartável, ficadas de uma só noite, corpos acima do peso, e pílulas que fazem de tudo: alegrar, aquietar, matar.
É um tempo em que há muito na vitrine e nada no estoque;
um tempo em que a tecnologia pode levar-lhe estas palavras e você pode escolher entre fazer alguma diferença, ou simplesmente apertar a tecla Del.

SARAMAGO...


"Todos os dias têm a sua história, um só minuto levaria anos a contar, o mínimo gesto, o descasque miudinho duma palavra, duma sílaba, dum som, para já não falar dos pensamentos, que é coisa de muito estofo, pensar no que se pensa, ou pensou, ou está pensando, e que pensamento é esse que pensa o outro pensamento, não acabaríamos nunca mais." (José Saramago 1922-2010)

SARAMAGO...


"Os bons e os maus resultados dos nossos ditos e obras vão-se distribuindo, supõe-se que de uma maneira bastante uniforme e equilibrada, por todos os dias do futuro, incluindo aqueles, infindáveis, em que já cá não estaremos para poder comprová-lo, para congratularmo-nos ou para pedir perdão, aliás, há quem diga que é isto a imortalidade de que tanto se fala." (José Saramago 1922-2010)

MORTE...


Morte, a inevitável ação terrena,
talvez a única proposição que não se propõe,
em que não temos domínio.
Até adiantamos, antecipamos,
querendo, ou não querendo,
consciente, ou inconsciente,
porque há a morte física, também há a morte espiritual.
A morte física, como todos nos sabemos,
vemos, presenciamos, e até um dia vivenciaremos,
onde a matéria derrotada, se degenera, esvaindo-se,
apodresse, a beleza que um dia foi, já não é.
Vai embora o brilho dos olhos, o calor do corpo,
a melodia da voz, o cheiro, o sabor...
Dando lugar a lembrança, a saudade, ao vazio,
a lágrima, ao desespero, e o desapego de tudo o que
aquele corpo te proporcionava.
A morte espiritual nem sempre acopanhada da morte física,
a alma vencida pelo cansaço, deita-se, adormece,
em um sono preguiçoso, sem forças para prosseguir e
combater a fraqueza, o mal que insiste em rondar-nos.
A morte espiritual que vos falo,
não aquela em que "essa alma" viaja para algum lugar
que ainda não sabemos, crenças existem,
mas só provas concretas me convencem.
Falo da morte em que a matéria existe, vive...
mas seu espírito, alma, não se nota, não se "vê".
A matéria permanece como uma folha seca levada pelo vento,
seguindo a vida sem perspectiva, sem um amanhã,
sem depois, pois seu espírito dorme.
Muitas vezes decorrente de decepções, frustrações,
revoltas, esse portador carrega isso consigo,
aprisionando em seu coração como flashs, de um filme triste,
onde não mais somos o diretor e sim o ator principal.
Essa tristeza engasgada, sufocada, vai se solidificando,
se fortalecendo, até se instalar em sua alma,
que de tão leve torna-se pesada,
e de tanto carregar esse peso, vai se enfraquecendo, se esvaindo,
e então adormece esperando uma atitude sua,
a sua mão para segurar esse peso,
a tua força e o teu sorriso. Um movimento brusco que á tire
desse sono, que á acorde.
Uma gargalhada, um momento de alegria para essa alma entristecida.
Sacode!!! Grita!!!
- Levanta!
- Levanta!
Acorda o teu espírito e volta a viver,
esquece o que já passou e acorda para o novo.
"Quem vive do que passou não enxerga o que se mostrou."
Para tudo á um momento certo, até para sofrer.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

VINTE E POUCOS ANOS...


Enfim, aos 20 anos de idade... 21, 22, 23, 24, 25 e assim por diante.
Isto é chamado de "crise de um quarto de vida".
É quando você pára de sair com a galera e começa a perceber muitas coisas sobre você que você mesmo não conhece e pode não gostar disso.
Você pensa sobre onde vai estar daqui a um ano ou dois, mas de repente se sente inseguro porque você mal sabe onde está agora.
Você começa a perceber que as pessoas são egoístas e que, talvez, aqueles amigos que você pensou que eram tão próximos não são exatamente as melhores pessoas que você encontrou em seu caminho, e pessoas que você perdeu o contato eram algumas das mais importantes.
O que você não consegue perceber é que eles percebem isso também, e não estão sendo frios, grosseiros, ou falsos, mas estão tão confusos quanto você.
Você olha para seu emprego... e não é nem perto do que você imaginava que estaria fazendo, ou talvez você esteja procurando emprego e percebendo que vai começar do zero e isso pode te assustar.
Suas opiniões se tornaram mais fortes. Você vê o que os outros estão fazendo e se encontra julgando mais do que o usual, porque você percebe que desenvolveu certos limites na sua vida e está constantemente adicionando coisas na sua lista do que é
aceitável e o que não é.
Em um minuto, você está inseguro e no próximo, seguro. Você ri e chora com a maior força da sua vida. Você se sente sozinho, assustado e confuso, de repente, a mudança é sua maior inimiga e você tenta se agarrar ao passado com a vida boa, mas logo percebe que o passado está cada vez mais longe, e não há nada a se fazer a não ser ficar onde está ou caminhar para a frente.
Você tem seu coração quebrado e pensa como alguém que você amava tanto pôde causar tanto estrago em você. Ou você fica deitado na cama e pensa por que você não poderia encontrar alguém decente o suficiente que você queira conhecer melhor. Ou às vezes você ama alguém e ama outro alguém também e não consegue imaginar porque você faz isso, já que você sabe que não é uma má pessoa.
Ficar com alguém por uma noite ou galinhar começam a parecer ridículos. Agir como um idiota se torna patético.
Você sente as mesmas coisas e enfrenta as mesmas questões de novo e de novo, e conversa com seus colegas sobre as mesmas coisas porque você não consegue tomar decisões. Você se preocupa sobre empréstimos, dinheiro, o futuro e construir sua própria vida... e enquanto ganhar a corrida seria maravilhoso, neste momento você gostaria apenas de participar!
O que você pode não perceber é que todos que lêem isso encontram algo em comum.
Estamos em uma das melhores e piores épocas da vida, tentando o máximo que podemos para ser feliz.

MOMENTOS...


Você já se perguntou se somos nós que fazemos os momentos em nossas vidas ou se são os momentos da nossa vida que nos fazem?
Se você pudesse voltar no tempo e mudar apenas uma coisa na sua vida, você mudaria? E se mudasse, será que essa mudança tornaria a sua vida melhor?
Ou será que ela acabaria partindo o seu coração?
Ou partindo o coração de outro?
Será que você escolheria um caminho totalmente diferente?
Ou você só mudaria uma única coisa?
Um único momento?
Um momento que você sempre quis ter de volta.