segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Qual a coisa mais importante que já fez na vida por você mesmx?

Recomecei minha vida do zero após uma cirurgia onde eu corria o risco de ficar numa cadeira de rodas e quase morrer após a cirurgia...

Bah, Pergunta Que Eu Respondo Já...

domingo, 29 de agosto de 2010

INSÔNIA...


Ponteiros me perseguem ao anoitecer...
Olham-me de lado meio que querendo dizer:
“Tic tac tic tac: já passa das onze, e aê??”
Aê que eu fujo um pouquinho pro mundinho virtual...
Só que quando dou conta já é quase uma e tal...
Então procuro o meu sono em vários canais,
Mas já passam das duas e os minutos são fatais...
Então vou deitar...
Mas que porra de musica é essa que não me sai da cabeça?
Helicópteros e goteiras... Querem que eu enlouqueça?
É melhor eu contar as ovelhas...
Respiração, mantra, reza e leite morno...
Quem inventou isso tudo só pode ser um corno!
Mas vamos lá, que já passam da três...
Ainda da tempo: “Deus: só dessa vez!”
Às quatro desisto e levanto da cama
Fritar até as seis já é também muito drama.
Por volta das cinco o sol vem rachando
trazendo as buzinas e os carros freando...
Mas como de costume eu me aquieto e reflito
Pois se eu não dormir, esse dia bonito
Será um daqueles em que to muito fudido!
Puts, que merda, já são sete, acabou!
É agora ou nunca, nesse meu cobertor...
Desisto!!! Só vou relaxar e me esticar mais um pouco...
Ahhh! Que soninho gostoso esse das sete às oito.......

sábado, 28 de agosto de 2010

BUSCA...


Procuro a grandiosidade do homem
e não me permito chorar
Pois toda realização
do pensamento sórdido
e louco de esperança
alimenta um desejo
semimorto
em busca da paz...

PENSE...


Eu vou te ganhar
custe o que custar
eu vou te conquistar
Vou usar seus amigos
que já usei
vou usar suas amigas
que eu já ganhei também
e vou te conquistar
neném
Sei que muitas vezes
vai me dizer não
mais cedo ou tarde
vou ganhar seu
coração
Aí nem pai
e nem mãe
nem irmã
e nem irmão
você vai ficar
todinha na minha
mão
E não tente escapar
não tente me deixar
pois se tentar
você vai sofrer
você vai chorar
e eu?
Eu não vou ligar
não vou me comover
Porque eu sou
assim
eu sou isso
Abuse & Use S.A.
eu sou seu vício
sua droga
prazer em conhecer
Maconha Cocaína
Nicotina Alcoólica
da Silva
eu vou acabar
com sua vida!

EU SOLDADO...


Na trincheira
O medo
Nas roupas
A pólvora
Nas mãos
A morte
Nos olhos
O sangue
No coração
O inimigo
Na consciência
A dor
Na alma
O amor.

A SABEDORIA DA NÃO-VIOLÊNCIA...


Vida verdadeira é como a água:
Em silêncio se adapta ao nível inferior,
Que os homens desprezam.
Não se opõe a nada,
Serve a tudo.
Não exige nada,
Porque sua origem é da Fonte Imortal.
O homem realizado não tem desejos de dentro,
Nem tem exigências de fora.
Ele é prestativo em se dar
E sincero em falar,
Suave no conduzir,
Poderoso no agir.
Age com serenidade.
Por isto é incontaminável.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010


Não tem olhos solares, meu amor;
Mais rubro que seus lábios é o coral;
Se neve é branca, é escura a sua cor;
E a cabeleira ao arame é igual.

Vermelha e branca é a rosa adamascada
Mas tal rosa sua face não iguala;
E há fragrância bem mais delicada
Do que a do ar que minha amante exala.

Muito gosto de ouvi-la, mesmo quando
Na música há melhor diapasão;
Nunca vi uma deusa deslizando,

Mas minha amada caminha no chão.
Mas juro que esse amor me é mais caro
Que qualquer outra à qual eu a comparo.
(William Shakespeare)

SONETO 17


Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.
(William Shakespeare)

De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça: amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante,
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo, muito embora
Seu alfange não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma para a eternidade.
Se isso é falso, e que é falso alguém provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou.
(William Shakespeare)

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

INSCRIÇÃO PARA UM PORTÃO DE CEMITÉRIO...


Na mesma pedra se encontram,
Conforme o povo traduz,
Quando se nasce - uma estrela,
Quando se morre - uma cruz.
Mas quantos que aqui repousam
Hão de emendar-nos assim:
"Ponham-me a cruz no princípio...
E a luz da estrela no fim!"
(Mário Quintana)

A UM AUSENTE...


Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.
(Carlos Drummond de Andrade)

O JARDIM DO AMOR...


Tendo ingressado no Jardim do Amor,
Deparei-me com algo inusitado:
haviam construído uma Capela
No meio, onde eu brincava no gramado.

E ela estava fechada; "Tu não podes"
Era a legenda sobre a porta escrita.
Voltei-me então para o Jardim do Amor,
Onde crescia tanta flor bonita,

E recoberto o vi de sepulturas
E lousas sepulcrais, em vez de flores;
E em vestes negras e hediondas os padres faziam rondas,
E atavam com nó espinhoso meus desejos e meu gozo.
(William Blake)

A ORIGINALIDADE, SEGREDO DOS MESTRES...


Os antigos Mestres da vida
Eram profundamente identificados
Com as potências vivas do Cosmos.
Em sua profunda interioridade
Jaziam a grandeza e o poder
Da sua dinâmica atividade.
Quem compreende, hoje em dia, esses homens?
Sábios eram eles,
Como barqueiros que cruzam um rio
Em pleno inverno;
Cautelosos eram eles,
Como homens circundados de inimigos;
Reservados eram eles,
Como hóspedes fossem;
Amoldáveis eram eles,
Como gelo que se derrete;
Autênticos eram eles,
Como cerne de madeira de lei;
Amplos eram eles,
Como vales abertos;
Impenetráveis eram eles,
Como águas turvas.
Impenetrável também nos parece
A sua vasta sabedoria.
Quem pode compreendê-la atualmente?
Quem pode restituir a vida
Ao que tão morto nos parece?
Só quem sintoniza com a alma do Infinito!
Só quem não busca o seu próprio ego,
Mas demanda o seu Eu real,
Mesmo quando tudo lhe falta.

terça-feira, 24 de agosto de 2010


Há um Sorriso que é de Amor
E há um Sorriso de Maldade,
E há um Sorriso de Sorrisos
Onde os dois Sorrisos têm parte.

E há uma Careta de Ódio
E há uma Careta de Desdém
E há uma Careta de Caretas
Que te esforças em vão pra esquecê-la bem

Pois ela fere o Coração no Cerne
E finca fundo na espinha Dorsal
E não um Sorriso que nunca tenha sido Sorrido
Mas só um Sorriso solitário

Que entre o Berço e o Túmulo
Somente uma vez se Sorri assim
Mas quando é Sorrido uma vez
Todas a Tristeza tem seu fim
(William Blake)

PROVÉRBIO DO INFERNO.


No tempo da semeadura, aprende; na colheita, ensina; no inverno, desfruta.
Conduz teu carro e teu arado por sobre os ossos dos mortos.
A estrada do excesso leva ao palácio da sabedoria.
A Prudência é uma solteirona rica e feia, cortejada pela Impotência.
Quem deseja, mas não age, gera a pestilência.
O verme partido perdoa ao arado.
Mergulha no rio quem gosta de água.
O tolo não vê a mesma árvore que o sábio.
Aquele, cujo rosto não se ilumina, jamais há de ser uma estrela.
A Eternidade anda apaixonada pelas produções do tempo.
A abelha atarefada não tem tempo para tristezas.
As horas de loucura são medidas pelo relógio; mas nenhum relógio mede as de sabedoria.
Os alimentos sadios não são apanhados com armadilhas ou redes.
Torna do número, do peso e da medida em ano de escassez.
Nenhum pássaro se eleva muito, se eleva com as próprias asas.
Um cadáver não vinga as injúrias.
O ato mais sublime é colocar outro diante de ti.
Se o louco persistisse em sua loucura, acabaria se tornando Sábio.
A loucura é o manto da velhacaria.
O manto do orgulho é a vergonha.
As Prisões se constroem com as pedras da Lei, os Bordéis, com os tijolos da Religião.
O orgulho do pavão é a glória de Deus.
A luxúria do bode é a glória de Deus.
A fúria do leão é a sabedoria de Deus.
A nudez da mulher é a obra de Deus.
O excesso de tristeza ri; o excesso de alegria chora.
A raposa condena a armadilha, não a si própria.
Os júbilos fecundam.
As tristezas geram.
Que o homem use a pele do leão; a mulher a lã da ovelha.
O pássaro, um ninho; a aranha, uma teia; o homem, a amizade.
O sorridente tolo egoísta e melancólico tolo carrancudo serão ambos julgados sábios para que ejam flagelos.
O que hoje se prova, outrora era apenas imaginado.
A ratazana, o camundongo, a raposa, o coelho olham as raízes; o leão, o tigre, o cavalo, o elefante olham os frutos.
A cisterna contém; a fonte derrama.
Um só pensamento preenche a imensidão.
Dizei sempre o que pensa, e o homem torpe te evitará.
Tudo o que se pode acreditar já é uma imagem da verdade.
A águia nunca perdeu tanto o seu tempo como quando resolveu aprender com a gralha.
A raposa provê para si, mas Deus provê para o leão.
De manhã, pensa; ao meio-dia, age; no entardecer, come; de noite, dorme.
Quem permitiu que dele te aproveitasses, esse te conhece.
Assim como o arado vai atrás de palavras, assim Deus recompensa orações.
Os tigres da ira são mais sábios que os cavalos da instrução.
Da água estagnada espera veneno.
Nunca se sabe o que é suficiente até que se saiba o que é mais que suficiente.
Ouve a reprovação do tolo!
É um elogio soberano!
Os olhos, de fogo; as narinas, de ar; a boca, de água; a barba, de terra.
O fraco na coragem é forte na esperteza.
A macieira jamais pergunta à faia como crescer; nem o leão, ao cavalo, como apanhar sua presa.
Ao receber, o solo grato produz abundante colheita.
Se os outros não fossem tolos, nós teríamos que ser.
A essência do doce prazer jamais pode ser maculada.
Ao veres uma Águia, vês uma parcela da Genialidade.
Levanta a cabeça!
Assim como a lagarta escolhe as mais belas folhas para deitar seus ovos, assim o sacerdote lança sua maldição sobre as alegrias mais belas.
Criar uma florzinha é o labor de séculos.
A maldição aperta.
A benção afrouxa.
O melhor vinho é o mais velho; a melhor água, a mais nova.
Orações não aram!
Louvores não colhem!
Júbilos não riem!
Tristezas não choram!
A cabeça, o Sublime; o coração, o Sentimento; os genitais, a Beleza; as mãos e os pés, a Proporção.
Como o ar para o pássaro ou o mar para o peixe, assim é o desprezo para o desprezível.
A gralha gostaria que tudo fosse preto; a coruja, que tudo fosse branco.
A Exuberância é a Beleza.
Se o leão fosse aconselhado pela raposa, seria ardiloso.
O Progresso constrói estradas retas; mas as estradas tortuosas, sem o Progresso, são estradas da Genialidade.
Melhor matar uma criança no berço do que acalentar desejos insatisfeitos.
Onde o homem não está a natureza é estéril.
A verdade nunca pode ser dita de modo a ser compreendida sem ser acreditada.
É suficiente!
Ou Basta.
(William Blake)

ANIMAIS...

Não me incomode, pô...



A preguiça bateu...



Quero muito você aqui comigo!!!



Amor, tô te esperando...



Vem cá minha bravinha, vem...



A vingança tarda mas não falha...



Vamos dar um rolê?!?!



Que dor de cabeça...



Cheiro bom, é teu perfume?!?!



Hum, massagem é bom...



Eu ajudo também, pode deixar comigo...



Só um pouquinho, vou matar a sede...



Que calçado eu uso?!?!



Primeiro as damas...



Tava escondendo o pacote de pirulito então, né... Há, te peguei malandro...



Vamos brincar de se esconder?!?!



Acabou as almofadas e agora com o que nós vamos brincar?!?!



Rock 'n Roll Baby, Rock 'n Roll...



Descansar um pouquinho, que o calor tá punk...



Tá me dando sono...



Tu me esquenta que eu também te esquento, só não vale pun..



Tá, eu tô comportadinho, ok...?!



¿Por qué me miras si no me quieres?



Tá tira a foto que depois eu como então...



Me dá, me dá que tô com fome...



Beijos com mordidinhas, quer?!?!



Eita fome que eu tô...



Esse inverno foi uma friaca aqui heim... Bah...



Não me incomoda senão tu apanha, é grande mas não é dois, pô...



Pra VC, Flores com Carinho...



Vamos dar uma volta???!!!


Esse tá mais limpinho do que muita gente... Roinc, roinc...


Calorzinho heim...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

ÓDIO É...


Ódio é água que molha sem molhar
é cegueira que enxerga mas não se vê
é uma felicidade de um infeliz porquê
é prazer em dor por não poder amar
É um querer muito o que não se quer
é ficar só por não ganhar o coração
é negar o bater sentido do querer
é ganhar nada por perder a razão
É desejar um desejo indesejado
é servir um prato frio de sal e sódio
é ser odioso por não ter amado
Mas como pode causar lugar no pódio
de um fado tão triste e malfadado
se tão semelhante a si é esse ódio?

VIDA!!!


‎"O respeito à vida é fundamento de qualquer outro direito, incluídos os da liberdade." Então cuide da sua que eu cuido da minha, falou!!!